sábado, Outubro 28, 2006

À Flor da Pele: A Apresentação

No próximo dia 30 de Outubro, Segunda-Feira, acontecerá o lançamento exclusivo do disco À Flor da Pele, na Fnac Chiado, onde faremos a primeira apresentação dos fados que compõem este novo disco, pelas 18:30.

Para este disco seleccionei poemas de dois dos clássicos poetas portugueses, Fernando Pessoa «Sopra o vento» e Pedro Homem de Mello «Apelo» e «Fonte», para composições originais de Paulo Paz, Pedro Pinhal e Mário Pacheco, respectivamente; mas também poesia de uma das maiores referências da poesia do Fado, José Luís Gordo «Lisboa Amor e Saudade», no qual aconteceu pela primeira vez uma parceria minha com o Pedro Pinhal na composição musical. Fiz também um desafio a José Luís Peixoto «Amor, o teu nome», para a música tradicional Fado Rigoroso, de José Marques, a Pedro Assis Coimbra «Se eu adivinhasse que sem ti», para uma música do Pedro Pinhal, ao Rodrigo Serrão «Aquele lápis de carvão», para o tradicional Fado Súplica, de Armando Machado e «Barco de sonhos», no qual fizemos uma ligação entre dois fados de Alfredo Marceneiro, o Fado Eu lenbro-me de ti e o Fado Laranjeiro, ao Helder Moutinho «Plantei um cravo à janela I», para um presente muito especial do meu querido Fontes Rocha, o Fado Joana, ao estilo tradicional, «Sem Querer», para uma composição do Pedro Amendoeira e «Como se fosse uma flor», para o Fado Três Bairros, de Casimiro Ramos e por último, ao Tiago Torres da Silva «À beira do meu olhar», para uma música do Pedro Pinhal e «Saudade por cantar», composto pelo Paulo Paz.
A sensibilidade de Custódio Castelo, na direcção musical e arranjos, fez-nos também crescer, pessoalmente e como grupo, mantendo também as características que nos distinguem.

São, portanto, 13 fados que dizem muito de nós, porque dos laços de ligação e comunhão dentro do próprio grupo, começaram, de uma forma muito natural, a surgir novas composições, mas também, por outro lado, pretendemos preservar o legado dos fados tradicionais, que devem ser sempre novos na voz e no estilo de quem os canta, esse é o verdadeiro objectivo de cada fadista.
Aqui expressamos a nossa paixão pelo Fado!

Até Segunda!

8 comentários:

susana disse...

Tenho de confessar que fiz o precurso contrario ao que seria normal... Ouvi a Magdolna Ruzsa, cantora hungara que nem fala portugues, a cantar o "Fado de ser Fadista" e à procura da letra dessa canção vim dar a este blog e a este nome (Joana Amendoeira). Tenho mesmo muita pena de nao poder estar na Fnac, porque tudo neste blog me maravilhou :)Já agora, com a letra do "fado de ser fadista", alguem me pode ajudar?? E a canção que cantou em hungaro,onde pode ser ouvida?

Anónimo disse...

Parabéns pelo novo disco, a capa está com muito bom gosto e mostra uma fadista madura e com muita alma, assim como sua musica e mostra um crescimento e afirmação, trazendo novos temas, mas com sabor e temperos do fado. É assim que se faz uma carreira, não se esquecendo do passado mas também trazendo novas melodias para o fado.
Olhe sempre em frente e sorria, o futuro é daqueles que trabalham(ainda mais quando se tem muito talento). Muitos sucessos

joana disse...

O FADO DE SER FADISTA
Artur Ribeiro

Fado é destino marcado
Fado é perdão ou castigo
A própria vida é um Fado
Que o coração traz consigo

Seja canção fatalista
Ou prece de quem sofreu
O Fado de ser fadista
É sina que deus me deu.

Fado é ternura
Fado é dor
Fado é tristeza
Fado é como que uma reza
De quem sof ou é feliz

Fado é loucura
É saudade
É incerteza
É bem a mais portuguesa
Das canções do meu país.

Fado é tudo o que acontece
Quando se ri ou se chora
Quando se lembra ou se esquece
Quando se odeia ou se adora

É ter um jeito de artista
P'ra moldar ao fado a voz
E o Fado de ser fadista
A morar dentro de nós.

Refrão.

(Inicialmente cantando por Carlos Ramos.)
Também é possível ouvir no disco Joana Amendoeira e no disco Ao Vivo em Lisboa, ambos da Editora CNM.

P.S. Em relação à canção húngara ainda não há registo dessa experiência! Mas quem sabe um dia destes...

Susana disse...

Obrigada!!! :)

Anónimo disse...

Este "Fado de ser fadista" é cantado realmente pela Ruzsa Magdolna. Eu tenho a gravação em mp3.
Valter, de São Paulo, Brasil.

KathyBlue disse...

Olá!
Eu sou Húngara - e acho que nao ha "versao" Húngara desta cancao.. Ela cantou em Portugues e ponto final :)
E agora tambem se apresentou no EUROVISION em Helsinki. É pena que nao ganhou :-(

Xau, abracos,
Kathy

Anónimo disse...

Hello Joana,

I'm a Fado lover and I adore all your music. I'd love to buy all your cd's, or at least the last one. Could you please tell me where I can get them? I'm an Ecuadorian living in the U.S. and here is impossible to find your cd's. If you know any web site that ships cd's to the U.S. and accept credit cards, please, please let me know.

Obrigadinha pela sua bonita voz. Muitos parabems!

Polyana Araujo

António Dinis Lopes disse...

A versão cantada pela magiar Magdolna Rusza está disponível no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=oQsEiRr513Y